Arquivos

    Votação
     Dê uma nota para meu blog

    Outros links
     A Poesia Que Me Cala




    A POESIA QUE ME CALA
     


    PRODUÇÃO LITERÁRIA


    A produção literária funciona como ópio do escritor.

    Ele se dopa junto às palavras,

    intensifica a sensação de alegria

    e extasia-se na criação de novas ideias.


    A produção literária funciona como fuga no momento de dor.

    Anestesia sentidos, e traz alívio...

    Recria ambientes rompidos!


    A produção literária desnuda medos antigos,

    e eleva o escritor a um grau de contemplação.

    Ilude seu ego "bandido"

    Aplaca sua vontade de continuar a escrever.



    Escrito por Rodrigo Franco às 22h02
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    ENSAIO

    Tentei personificar as palavras

    Até comecei, porém, a inspiração não chegou.

    Um dia finalizarei esta poesia

    Viverei as palavras através de atos.


    Poesia é vida, é sonho, paixão!

    É tudo, tudo... e vive no cotidiano esquecido.

    Ela cumpre humildemente seu papel,

    Já começo a conhecer o universo das palavras.


    Na minha ignorância poética

    Sou cético com relação aos talentos naturais.

    É uma realidade que não é real!


    Tem mais um pedaço dessa poesia;

    Os sonhos consomem tudo que já foi construído

    Cala-me, a poesia! Não tenho argumentos para refutar.



    Escrito por Rodrigo Franco às 20h41
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    ARTE VIVA

    Hoje, publiquei primeiro trabalho prático conceitual de Arte Viva, utilizando a poesia ESTRESSE. Este estilo artístico se contrapõe à Arte Zumbi. 

    "Na luta contra a Arte Zumbi como única forma de expressão artística!"



    Escrito por Rodrigo Franco às 09h38
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    PUBLICAÇÃO NO JORNAL DO SÁBADO

    Na edição 64 do Jornal de Sábado, página 6, foi publicado o Manifesto O FIM DA ARTE ZUMBI que é de minha autoria. Entre e confira: http://www.jornaldosabado.com.br/edDig/064



    Escrito por Rodrigo Franco às 21h39
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    INSUBMISSÃO ARTÍSTICA

    Ditongos, hiatos, tratos

    Meus dizeres foram roubados.

    Estupefatos estão os artigos

    Tentaram arruinar minha escrita.


    A corja impede a liberdade artística,

    e faz com que a prole seja excluída.

    … Assim é melhor;

    Não sou obrigado a me vender...


    Vivo no submundo artístico

    Ninguém me apadrinha!

    Meus versos são guerreiros valentes

    Minha fala LaTeNtE.



    Escrito por Rodrigo Franco às 17h46
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    SÃO JOÃO

    Outro momento especial

    Sim, outro dia para poder escrivinhar...

    Escravizar a escrita algoz

    e libertar a norma da própria norma.


    Irei ver São João

    Minha segunda terra natal

    Irei por lá me prender,

    e apreciar a total liberdade.


    Depois, apagarei esta poesia

    pois, acho que tô meio cansado.

    Meião vislumbrado!


    Minha caracteristica é intensa

    Intento novos momentos...

    Vô lá fala com o pessuar da cidade!



    Escrito por Rodrigo Franco às 20h57
    [] [envie esta mensagem
    ] []



     
      [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]