Arquivos

    Votação
     Dê uma nota para meu blog

    Outros links
     A Poesia Que Me Cala




    A POESIA QUE ME CALA
     


    FACULTAR

    Como facultar aos jovens a capacidade de transformar, para melhor, uma geração, sendo que neles paira ignorância e prepotência? Tal alienação é deixar-se nortear por um bêbado ufano.



    Escrito por Rodrigo Franco Bibbo às 11h11
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    DAR DINHEIRO É SEMPRE MAIS FÁCIL

    "O dinheiro compra tudo", é o que muitos acham. E, de certa forma, estão certos os que assim pensam. Realmente, o dinheiro abre muitas portas! Com ele se pode fazer infindáveis coisas, ter, adquirir, prover, planejar, negociar... até fazer lobby!!! Seria demagogia e até insanidade dizer que a "grana" não serve pra nada! Serve! E muito!


    Vivemos a era das ONG's, dos catarses da vida, da filantropia. Creio, que como nunca, hoje as pessoas doam parte do seu dinheiro para ajudar. Acreditam que, desta forma, podem fazer um mundo melhor.

    Entretanto, há uma massificação ludibriosa relacionando o conceito de dar somente ao dinheiro. E isso me incomoda muito! Pelo simples fato de que grande parte das pessoas acham que contribuindo, financeiramente, já fizeram a sua parte. Isso é um pensamento medíocre, que alimenta o próprio ego, e extremamente confortável. Não falo para desqualificar quem quer que seja, todavia, tem que haver muito, mas muito mais... Temos que colocar a mão na massa, realmente participar!

    Vou colocar alguns exemplos para que o entendimento se torne mais fácil:

    - É menos trabalhoso vermos alguém fazer uma doação para o Criança Esperança do que ajudar uma criança necessitada do seu bairro; 

    - É mais confortável contribuir com uma mensalidade para o Asilo, do que ir lá, e dar um "oi" para um pobre velhinho;

    - Os fieis, todos os meses, deixam parte do seu salário para as instituições e creem que, ao assim agirem, fizeram a sua parte. Não se envolvem, não questionam, nem se oferecem. No inconsciente fazem como Pilatos, lavam as suas mãos! Ter o nome da listinha dos doadores pode ser até legal, mas participar, visitar os doentes, levar uma palavra de esperança, auxiliar os que realmente necessitam de um apoio, vai além do "legal"... é divino;

    - Os familiares que se encontram numa condição financeira mais favorável, e que normalmente, sabem disso, aparecem com soluções do tipo: "Deixa que eu pago" ... "Está precisando de alguma coisa?" ... "Quanto custa?" ... "Quanto é?". Mas, venha você pedir para que eles te ajudem a colocar o lixo na rua, dar um banho no cachorro, lavar uma louça, levar um parente pra passear! A pessoa espana, sai de fininho e ainda fala que não tem jeito pra isso;

    - No casamento o marido compra tudo que a mulher quer. Leva a linda esposa para jantar, dá joias, flores, etc. No entanto, quando a questão é carinho, uma visita a casa dos seus pais, uma ajuda pra arrumar a cama, dar atenção aos filhos, o sujeito se comporta como um "ogro".

    Lembre-se da história dos ovos com bacon. Quem ajuda com dinheiro é como a galinha que bota os ovos, enquanto que quem se doa por completo é como o leitão que dá o seu couro!

    Nesses poucos mais de trinta anos de vida pude constatar um simples fato: o dinheiro vai e vem! Quem tem muito hoje, amanhã pode não ter. A garantia de hoje não é certeza no futuro! Não que eu queira que você empobreça, mas e se amanhã você estiver numa pindaíba lascada, o que restará de útil em você?



    Escrito por Rodrigo Franco Bibbo às 16h53
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    FIM DE NOITE

    Fim de noite
    vontade de compartilhar.
    Não num "face" careta, que se acha maluco,
    mas num tête-à-tête, onde se encontram os seres...

    Uma poesia sonsa
    que sorrateiramente exprima 
    insondáveis questões,
    corretos juízos,
    amor,
    redenção e fé!

    Tarefa formiguinha,
    de grão em grão, menos é mais.
    Escreve, mesmo que não se escreva!
    Conhece, mesmo que já se conheça!

    Foi apresentado ao tempo, 
    mas não se sabe de fato que ele exista.
    Conhece-se somente através das marcas
    as rugas se contagiam entre si."



    Escrito por Rodrigo Franco às 16h41
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    BUSCA

    Estou pensando em palavras que façam sentido,

    falando sobre fatos que se falam.

    Não é fácil olhar teus olhos,

    nem é tão fácil entender.


    São dias e dias, e minha compreensão aos poucos muda.

    Tantos medos, dissipo-os com a fé!

    Nada é imutável, infalível, algumas coisas relativas, outras inefáveis.

    Depende dos olhos de quem vê.


    Chega um ponto que não faz sentido o pensar

    no piloto automático o pensamento não é solução.

    Repete-se conceitos, tudo emoção.


    Basta esperar, fazer o que pode ser feito

    Entre conflitos buscar a conciliação

    Em meio as dores a alegria floresce!



    Escrito por Rodrigo Franco às 17h07
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    FARDO

    Meu jamaxim era pesado,

    cheio de ilusões inexatas.

    Impudico me enxerguei solitário

    tudo do modo de vida ao qual tanto sonhei...

     

    Percebi que, não mais, suportava o fardo.

    Cargas de um mundo pungente,

    Axioma do conjunto vazio,

    mas que tanto esmaga!

     

    Percorri um caminho cheio de pedras

    Fulgi quando me delatei...

    e de pálido transfigurei flamante.

    O Espírito me convenceu.

    Fropalei um novo modo de vida!

    Alvo e limpo...

    Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”.



    Escrito por Rodrigo Franco às 11h45
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    CHUVA

    Cai a chuva na madrugada

    destila suas gordas gotas como orvalho.

    Relampeios iluminam nuvens,

    e ecoam no ar trovões.

     

    Duas horas da manhã...

    sinto cheiro de frescor!

    A cidade é lavada,

    como pensamentos dos que descansam esta noite.



    Escrito por Rodrigo Franco às 00h06
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    REESCREVER

     

    Hoje, componho novamente.

    Paralelamente, minhas palavras se aglutinaram

    Mais uma vez revejo significados...

    Mais uma vez tropeço em palavras.

     

    De um sonho intenso

    Dia despertado...

    Rejeitei próprios atos,

    Reintero minha vocação! 



    Escrito por Rodrigo Franco às 23h00
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    SEGUNDO

     

    Um segundo... muita coisa aconteceu

    muita coisa aconteceu.

     

    P a s s o ao infinito

    compasso escrito aleatoriamente.

    Letras mal amadas

    Adaga que transpassa o pergaminho.

     

    Agucei palavras como navalha

    e os versos afinei num tom diminuto.

    Indultei um “Madrigal Melancolico”

    meu tinteiro é d I g I t A l

     

    No cognitivo conexões ramificam as informações.

    Concomitantemente, cordas vocais vibram entrelaçadas

    No palatino a língua executa um movimento perpendicular

    Nasce a PALAVRA!

    ADORMECE o silêncio.



    Escrito por Rodrigo Franco às 01h32
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    UM DIA LOGO TUDO MUDA

    - Bom dia senhorita, como estás?

    - Estou bem, mas, cansei-me demasiadamente!

    - Não me digas que, hoje tu estás ao acaso?

    - Pois bem, estou. Já era hora!

    - E como foi, ontem à noite, a Sinfonia de teu primo?

    - Ah... Sinfonia! Para isto acontecer, os músicos deveriam estar em sintonia.

    - Quer dizer que não estavam...

    - Estavam... Não sei o que deu errado.

    - Sabes o que acontece?

    - Não. O que acontece?

    - Acho que não posso te explicar, teus pais não iriam gostar...

    - Meus pais?

    - Exatamente!

    - Moço! Tu sabes que nesse País os pais tem costume de presentear os amigos. Se tu me disseres ficarei felicíssima.

    - Estás querendo me comprar?

    - Estou. Queres?

    - O que quero não podes me dar, e o que peço não sei se podes encontrar!

    - Não sabia, tu és poeta!

    - Não sou.

    - Não! Se tu fosses quão grandes palavras expressarias.

    - Sei...

    - Sabes?

    - Acho que sei. Mas, se tu sabes, ele também sabe.

    - Nós todos sabemos disso... Vós também sabeis, todavia, não dizeis para nós que eles sabem.

    - Senhorita... cuidado com o que dizes, as paredes podem escutar.

    - As paredes não, mas os parentes...

    - Podemos conversar sobre este assunto em outra hora?

    - Depois, quando não estiver ninguém por aqui?

    - Isso mesmo!

    - Pode ser.

    - Sabia que não irias me rejeitar!

    - Preciso te dizer algo...

    - Dizer-me?

    - Sim. Sinto muito por ti.

    - Sentes, o que sentes?

    - Olhe! Da janela desta sala podemos ver as flores do jardim.

    - Yasmim o que tu sentes?

    - Sinto...

    - Tudo bem, não precisa dizer...

    - Como assim não precisa dizer, não queres me escutar?

    - Não. Teu silêncio basta!

    - Sério?

    - Olhar para ti me faz ver o que não via há muito tempo.

    - Por que choras?

    - Porque a princesa me toca sem me tocar, seu suspiro penetra meu âmago por onde quer que eu vá!

    - Não chores, beija-me!

    - Não beijo, amo-te.

    - Amor!



    Escrito por Rodrigo Franco às 20h23
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    INVISÍVEL

     

    Esperei-te...

    Espera da procura perfeita

    Na cultivação de novas falas,

    repercurti repertórios novos.

     

    Sou fantasma de minhas próprias obras

    sou poeta sem faces

    Não como ator...

    palavras minhas nem interpreto!



    Escrito por Rodrigo Franco às 21h17
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    GIULIA

    Viajo em mares profundos

    Isso é total sinestesia.

    De ti nunca escrevi...

    minha inspiração tão crescente.

     

    Teu sorriso tão casto,

    meiguice que irradia

    deixa rastros...

    Adentrar-me-ei em ti, sempre!

     

    Guardei-te só para mim,

    minha mente a descreve

    como livros sem fim.

     

    Só um poema não poderia expressar

    tua grande beleza

    como um oceano repleto...



    Escrito por Rodrigo Franco às 22h25
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    IGUALDADE

     

    Não sou magnata

    nem sou fariseu,

    Não sou nenhum primata

    Que só pensa no seu.


    Até quando isto vai continuar?

    onde quem tem é,

    e quem não tem

    tem que "pastar".


    Perante Deus

    somos todos iguais!

    Não se julgue melhor

    Só porque ganha mais


    Há um objetivo

    pelo qual estamos aqui

    Então faça o melhor

    para tentar descobrir!



    Escrito por Rodrigo Franco às 21h22
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    POESIA CONCEITUAL

     

    O teclado me é estranho

    teclo apenas delete.

    Não lembro mais do ctrl alt

    As redes sociais me fazem universal...


    Perdi uma de minhas escritas,

    e assim, ando longínquo das palavras.

    Forjei poesias!

    apropriei do significado “arte conceitual”


    Mais do que isso,

    Busco conceituar meu significado.

    Não em 140 caracteres...

    nem em Duchamp ou Lygia Clark



    Escrito por Rodrigo Franco às 22h20
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    O VIAJANTE

    Nunca vi o mangue,

    nem conheço a catinga

    Quase fui ao cerrado

    Só adentrei Mata Atlântica.


    Não me perdi no deserto,

    nem gosto de neve senti.

    Escalo Serra da Mantiqueira!

    dos Alpes apenas ouço


    A globalização me faz viajar a novos lugares...

    Faço um embarque no Street View®

    Sou um viajante digital,

    e um caipira real!



    Escrito por Rodrigo Franco às 15h08
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    FINALMENTE

    O cansaço chegou esta noite

    De mansinho veio até cá,

    Uma aula me é exposta,

    Qual aposta vai vingar?


    O som das pessoas ecoam no ambiente,

    e quantas coisas ficam a falar.

    Sinto sua falta!

    Delicadeza sempre faz bem!


    Qual a resposta que cala o aflito?

    E qual a dinâmica que danifica o autor?

    Sonhe e solte,

    sole e sorria!


    A cadeira da cadeia alimentar,

    alimenta os sonhos de quem escreve...

    Novas frases se eternizam,

    Por um momento, ou pouco mais!


    Passei, tracei, discuti e divulguei.

    Os olhos sem sorriso,

    mensuram a solidão!



    Escrito por Rodrigo Franco às 08h49
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    PRIMEIRO

     

    Uma primeira poesia, do primeiro verso, no primeiro caminho,

    da primeira ideia, um primeiro provérbio

    da primeira fala, na primeira encenação

    no primeiro dia de aula.

    Do primeiro olhar de desejo

    da primeira derrota, primeira vitória!

    Primeiro beijo, primeiro fora...

     

    De tantos primeiros, tornei-me o último,

    não inutil, nem incensato!

    Me fiz primeiro ou fiz-me o primeiro...

    Através de um espelho, através de um espectro.

    Meu talento é apenas replicar... replicar... replicar... replicar... replicar...



    Escrito por Rodrigo Franco às 12h57
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    RADICALIZAÇÃO

    A transformação radicaliza o modo de viver.

    Conheço realidades na pele

    Deixar tudo para trás

    Focar numa nova direção.


    Louco, fanático, lunático,

    Foram estes os termos repetidos.

    Acertei com o erro.


    Faria tudo de novo!

    Encontrei conforto e paz.

    A radicalização transforma o modo de viver.



    Escrito por Rodrigo Franco às 23h44
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    PORRE LITERÁRIO

    Nesta noite não tenho o que expressar.

    Palavras não faltam, mas...

    não tenho desejo de escrever.

    Ok! Vamos lá, vou tentar ...

     

    O mundo dos poetas é paradoxal

    Rico e pobre, profundo e superficial.

    Mágico e trágico, trágico e mágico!

    Não mais sei  as coisas das ordens.

     

    Afinal, escrever poesia é algo sem importância

    Chato, barato, vulnerável, doido.

    Ninguém quer comprar ou vender

    Aqui não existe Bestseller,

    Nem existe leitura!  Nem existe leitura?

    Basta olhar, ler, descartar e pronto!

      

    Acho que quero demais!

    Fazer o que, afinal poesia é um saco! Só é legal de escrever.

    O povo prefere algo melhor!

    Salve... Gloria Kalil, Dan Brown, Tiririca, Parangolé!

    Vaias aos poetas bestas que tentam sobreviver!



    Escrito por Rodrigo Franco às 18h21
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    HISTÓRIA IMAGINÁRIA

    Falei... você não pode escutar

    páginas escritas num livro sem fim.

    O título transformava os leitores,

    as letras andavam e marchavam junto a mim.

    Pasmo, vi minha palidez!

    O desespero tomou conta de mim.


    Desejei desvendar o mistério

    um dia após o outro retomamos o futuro.

    Nem sempre é assim!

    Às vezes, sentimos medo e dor.

    Quando surgem novas histórias,

    nem sempre fazemos parte dela.



    Escrito por Rodrigo Franco às 20h45
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    POBRE MARKETING

     


    É fácil ver como as pessoas se deixam levar, facilmente, por blá blá blás. Para isso, basta ligar a televisão, o rádio ou a internet e ser bombardeado pelas propagandas. Elas são criadas para te atingirem, e estão, a cada dia que passa, mais elaboradas e direcionadas. Então, se você bobear, e for levado por elas, instantaneamente, sentirá uma insaciável vontade de comprar, adquirir, ter, participar. Pronto... Acabou-se a necessidade e surgiu o desejo.
    O marketing é muito parecido com a serpente... Em muitas vezes vende algo que parece ser maior e melhor do que realmente é.
    Cansei de ser influenciado pelos meios de comunicação. Compre isso, experimente aquilo, você precisa desta novidade, nunca viu nada igual, não faça, faça, siga, não siga.
    Para, para e para!
    Se pudesse dizer algo para você, e posso, diria: não leia meus textos, nem veja minhas poesias. Não entre em meu blog, não veja meus vídeos. Seja realmente livre e tenha o direito de escolha. Analise, discuta, duvide. Seja um consumidor consciente.
    O marketing é cruel. Faz com que um pai e uma mãe comprem, mesmo não tendo condições para isso.
    Se as pessoas fossem menos influenciadas pelos impulsos, não haveria tanta gente endividada, tanta depressão, tanta cobiça. Não haveria uma competição desenfreada em cima daquilo que não é nada. As famílias deveriam ensinar as crianças a serem menos egoístas e menos competitivas.
    Lembro-me, e agradeço, a um homem que mostrou, na prática, que mais vale o amor do que o dinheiro, que mais vale se lembrar do próximo do que ficar lambendo o próprio umbigo. Seu nome era Salvador Bibbo, meu pai!
    A pressão exercida sobre os jovens é tão esmagadora que “ter" virou sinônimo de sucesso. Isso não é virtude. É vício!
    O verdadeiro sucesso é vivenciar a própria vida, e descobrir em si, o verdadeiro significado de viver.


    Escrito por Rodrigo Franco às 12h48
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    PRODUÇÃO LITERÁRIA


    A produção literária funciona como ópio do escritor.

    Ele se dopa junto às palavras,

    intensifica a sensação de alegria

    e extasia-se na criação de novas ideias.


    A produção literária funciona como fuga no momento de dor.

    Anestesia sentidos, e traz alívio...

    Recria ambientes rompidos!


    A produção literária desnuda medos antigos,

    e eleva o escritor a um grau de contemplação.

    Ilude seu ego "bandido"

    Aplaca sua vontade de continuar a escrever.



    Escrito por Rodrigo Franco às 22h02
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    ENSAIO

    Tentei personificar as palavras

    Até comecei, porém, a inspiração não chegou.

    Um dia finalizarei esta poesia

    Viverei as palavras através de atos.


    Poesia é vida, é sonho, paixão!

    É tudo, tudo... e vive no cotidiano esquecido.

    Ela cumpre humildemente seu papel,

    Já começo a conhecer o universo das palavras.


    Na minha ignorância poética

    Sou cético com relação aos talentos naturais.

    É uma realidade que não é real!


    Tem mais um pedaço dessa poesia;

    Os sonhos consomem tudo que já foi construído

    Cala-me, a poesia! Não tenho argumentos para refutar.



    Escrito por Rodrigo Franco às 20h41
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    ARTE VIVA

    Hoje, publiquei primeiro trabalho prático conceitual de Arte Viva, utilizando a poesia ESTRESSE. Este estilo artístico se contrapõe à Arte Zumbi. 

    "Na luta contra a Arte Zumbi como única forma de expressão artística!"



    Escrito por Rodrigo Franco às 09h38
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    PUBLICAÇÃO NO JORNAL DO SÁBADO

    Na edição 64 do Jornal de Sábado, página 6, foi publicado o Manifesto O FIM DA ARTE ZUMBI que é de minha autoria. Entre e confira: http://www.jornaldosabado.com.br/edDig/064



    Escrito por Rodrigo Franco às 21h39
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    INSUBMISSÃO ARTÍSTICA

    Ditongos, hiatos, tratos

    Meus dizeres foram roubados.

    Estupefatos estão os artigos

    Tentaram arruinar minha escrita.


    A corja impede a liberdade artística,

    e faz com que a prole seja excluída.

    … Assim é melhor;

    Não sou obrigado a me vender...


    Vivo no submundo artístico

    Ninguém me apadrinha!

    Meus versos são guerreiros valentes

    Minha fala LaTeNtE.



    Escrito por Rodrigo Franco às 17h46
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    SÃO JOÃO

    Outro momento especial

    Sim, outro dia para poder escrivinhar...

    Escravizar a escrita algoz

    e libertar a norma da própria norma.


    Irei ver São João

    Minha segunda terra natal

    Irei por lá me prender,

    e apreciar a total liberdade.


    Depois, apagarei esta poesia

    pois, acho que tô meio cansado.

    Meião vislumbrado!


    Minha caracteristica é intensa

    Intento novos momentos...

    Vô lá fala com o pessuar da cidade!



    Escrito por Rodrigo Franco às 20h57
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    MANIFESTO O FIM DA ARTE ZUMBI

    Este estudo é fruto unicamente de minhas experiências e são baseados empiricamente em minhas próprias idéias. Espero explanar o tema de forma simples, inovadora e sucinta.

    O que é a arte senão a manifestação do sentimento humano?  

    A arte se desenvolveu juntamente com a própria historia do homem. Ela teve e tem papel fundamental na construção dos indivíduos e das sociedades. É fácil verificar nas mais diversificadas culturas a influência artística nos diversos períodos históricos.
    Contudo, antes de haver a manifestação artística ocorre o nascimento do sentimento no âmago do criador. Nisso, surge uma necessidade avassaladora de extravasar,  e o que estava reprimido é impulsionado a um grau de contemplação.
    Desde a Pré- arte até a arte Pós-contemporânea, ela se mantém em duas facetas; Viva e Morta.
    Defino a arte como viva, pois ela se renova a cada publico espectador, artista e críticos. Ela provoca sentimentos, atrai sentidos, renova percepções, modifica conceitos. Viva, pois, cada expectador a vê por um prisma, sendo que até um mesmo individuo pode ter diferentes sentimentos por uma obra, dependendo do momento em que tem contato com ela.
    Por outro lado a arte é morta! Morta, pois, na sua forma não há modificação. O que é feito hoje será para sempre. A obra não se renova. Na verdade ela é embalsamada e levada para um sarcófago.  Neste momento ocorre a mumificação da arte. Assim ela é, e para sempre será! Morta!
    Então, se a arte é viva e morta ao mesmo tempo, na verdade a arte é Zumbi.
    Mais do que refletir sobre o tema, falo de uma proposta de Arte Viva. Nela a obra ganha traços de um organismo vivo e é modificada na medida em que o artista assim o quer. O que foi produzido ontem pode ser modificado amanhã. Já faço isso em meu BLOG de uma forma parcial. Geralmente as ordens dos textos são trocadas, fotografias alteradas, músicas e vídeos renovados. Tudo isso em uma única obra. O próximo passo será modificar os próprios textos escritos. Chega de Arte Zumbi, vislumbro a ARTE VIVA!
    Como músico, lembro-me dos primeiros passos nesta arte universal. Eu amava tocar, compor, aprender novas harmonias, pensar em melodias, pentatônicas, campo harmônico, claves, tempo, ritmos. Isso é sublime, mágico e inexorável. Porém, não me cabia, e nem
    me cabe, que um artista passe Dez... Vinte... Trinta anos de sua vida artística executando a mesma música para o público. Isso é morto, entediante e fatídico!
    Não respeito mais a arte zumbi como principal meio de manifestação. Isso gera mediocridade artística.

     

    São João da Boa Vista, 18 de agosto de 2010.



    Escrito por Rodrigo às 21h44
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    POEMA DE UM BATE PAPO

    Lima Barreto foi esquecido

    Acho que não conheço Drummond

    Iracema já está tão caduca...

    já não se lembra quem és.


    A ilusão foi arruinada

    e assim os grandes escritores ficaram imortalizados.

    Basta sonhar...

    É preciso ver as próprias pernas.


    Precisamos adestrar a criatividade

    Então, desligaremos ideias.

    Desligar é tortura. Tão rude quanto ser ogro.

    Veremos agora o que vem pela frente...


    Há esperança,

    inclusive VIDA!

    Há timbre,

    inclusive a morte.



    Escrito por Rodrigo às 19h48
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    (MU)N(DO)

    Mais uma vez

    menos palavras se falam

    Volta vez o estilo

    atenuam as formas e cores.

     

    Sempre outra vez

    O que foi falado nunca foi dito.

    Discursos formados continuam... antigos

     

    As palavras mudas perderam

    Penderam a ganharem

    $dinheiro$

     

    O sabor da vitória neste caminho é amargo.

    Suave, a satisfação de quem não comeu.

    Deliciosas e saborosas mentirinhas são oferecidas

    quem se oferece a comer no chiqueiro?

     

    Todo caminho leva a algum caminho.

    Mas o amor nunca é em vão.

    Que pena! rapidamente o auditório é ocupado.

    Já se vê a Sra. Mundisfação!



    Escrito por Rodrigo às 19h02
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    FACULDADES

     

    O conhecimento é escambo

    e caminha nos meios acadêmicos.

    Fascina os discentes raquíticos...

    Pensamentos e visões em série são formados.

     

    O parnasianismo acadêmico

    domina as cadeiras dos mestres.

    Enaltecem a mediocridade

    dentro das salas de aula.

     

    Falta-me o ar!

    Respiro resquícios de conhecimento.

    A poluição toma conta deste meio...

    Sorte! Tenho meu próprio tubo de Oxigênio. 



    Escrito por Rodrigo às 12h52
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    FATÍDICA ALERGIA

    Mais uma dor

    Uma mais poesia

    E um mais tanto novo,

    uma mais alegria.

    Alergia, alegria

    Utopia fatídica,

    mascaradas de vetos

    Sonolências do agir.


    Tempos e verbos

    De frases formadas

    Um ninho de cobra,

    de letra aguçada.

    Que de tempos em tempos,

    catereriza provérbios

    de um canto mais simples

    Uma nova canção.


    Resposta mais curta

    Que bate e volta,

    no amasso do dia

    acaricia e maltrata.

    No beijo da noite

    na roupa que corre,

    Toque sinfônico

    no seio que cobre.


    Cobre-se, cingi-se, descobre...

    Acaricia, ilude-se e cobre.



    Escrito por Rodrigo às 13h13
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    SONHOS

    Lembro-me que quando era criança

    Tempo de inocência...  tempo da simplicidade!

    E o mais impressionante, no tempo de infância, são os sonhos!

    Pensamos e deixamos levar pela fantasia. Tardes e mais tardes, levados aos sonhos...

    ... todavia a criança cresce, e logo deixa de sonhar.

    Nisso, há uma transformação, existe  m e t a m or fose!

    E poucos adultos sonham de verdade. Digo, não o sonho que se tem durante a noite, mas, sim, o vislumbrar o que ainda não aconteceu.

    Analise bem e dirá que sonhar é ter fé! E fé pode ser entendida como "o firmamento das coisas e não se vêem, mas que se crê".

    Não sou bom em conselhos, mas deixo alguns:

    - Sonhe mais

    - Acredite em si

    - Não desista

    - Lute para realizar seus objetivos

    - Sorria :) :)

    E com toda sinceridade do meu coração te digo: SONHE!



    Escrito por Rodrigo às 21h31
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    XADREZ

    O xadrez é formidável

     e faz você raciocinar.

    O xadrez tem fama de difícil

    Xeque! Fuja com o rei...


    Sessenta e quatro casas

    Livre, trinta e duas.

    Dezesseis peças, cada oponente,

    Um objetivo comum.


    O tempo nunca para... ... ... ...

    Só muda de lado se você j oga r

    Amigo, o vazio aqui inexiste na sorte!


    Estratégia é lógica.

    Estude seu adversário!

    Xeque Mate! Acabou-se o jogo.



    Escrito por Rodrigo às 20h49
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    SILÊNCIO

    Há um bom tempo não escrevo poesias...

    Sinto-me um estranho perante palavras.

    Será que alguma me reconhecerás por aqui?


    Meus versos me abandonaram

    Destinam a acreditar que não somos vãos.

    Inclinam a sentar e aprender...


    Pois é... Aí é que está o poder e a beleza!

    Curar-se do próprio "orgulho colega"

    Matando a própria maldade.


    Maltratando a própria palavra

    e acariciando o próprio silêncio.

    Psiuuu.... SILÊNCIO!



    Escrito por Rodrigo às 21h42
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    VIAGEM DIGITAL

    Do meu Ipod escrevo mais poesias

    digitalizo minhas inspirações.

    Dinamizo a suave escrita,

    dedico tempo e atenção.


    Idealizo novas missões...

    Viajo rumo ao centurião das ideias.

    Uma constelação de palavras me atinge,

    estou a milhões de anos luz do Centro gramatical!


    No "espaço tempo" perco a linguagem

    Conjulgarei o passado, conjulgo o presente, conjulguei o futuro...

    Em qual período hei de estar?


    Um prepulsor alavanca novas aspirações,

    Minha nave espacial vaga  l e n t a m e n t e...

    Escrevo mais poesias do meu Ipod!



    Escrito por Rodrigo às 15h37
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    MANHÃ MATINAL

    Nesta data matinal 

    O céu amanheceu enrugado.

    Mesmo assim os animais começam sua rotina...

    Ligaram o on novamente.

     

    A formiga não se fatiga do seu trabalho,

    e os pássaros cantam liricamente.

    Os cachorros aguardam afago

    Pobre homem! Continua na selva de pedras...

     

    Até o mosquito quer se exibir

    e fica zanzando perto de mim.

    Se ele me irritar...

     

    É... Mais um dia começou

    Começou tudo outra vez!



    Escrito por Rodrigo às 23h00
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    MAKE-UP

    Fagulhos de beleza iluminam o rosto

    Erguem-se lentamente na aurora boreal.

    A Beleza ergueu o ego da vaidade,

    Pôs-se de pé em meio ao salão, em meio ao rol.

     

    Está certo que o creme linfático ajudou

    e a maquiagem maquiou gradativamente!

    Mas como já foi dito,

    "O que é bonito sempre aparece".

     

    As beldades estão prostradas,

    Quem dera as pobres mortais...

    Salve Cláudia, Manequim, Nova!

     

    Lançaram mão da personalidade

    Ficaram nos tablóides só personalidades?

    Pergunta persuasível, resposta personal!



    Escrito por Rodrigo às 22h17
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    PROCESSO

     

    Na cavidade, ante os olhos permeiam os pensamentos,

    O comportamento é designado pelo meio onde se está inserido.

    A individualidade transformou-se em escudo protetor,

    Os corpos estão mortos vivos andando pelas ruas secas e petrificadas.

     

    A racionalidade tão irracional é familiarizada pela antítese.

    Em casos extremos a cumplicidade torna-a mais paradoxal...

    Conflitos internos exteriorizam o medo de rejeição

    O ser humano se esqueceu de que é humano!

     

    Olhos famintos... Mãos sedentas... Lábios apreensivos...

    Pés paralisados... Corações frios... Mentes vazias...

    Quem é quem, e o que é o que, qual é qual em cada qual situação?



    Escrito por Rodrigo às 21h57
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    SONHO CAPITAL

    A noite não era de lua cheia. O caminho estava escuro. Poucas pessoas passavam por ele, e não havia como enxergar qualquer coisa que estivesse à frente.

    Em um casebre ali próximo, o som ordenado e com acordes melódicos propagava alegria e descontração. Vozes, risadas e gritos, completavam aquele cenário. Foi neste clima que durante toda aquela noite, a festa ocorria naturalmente. Às vezes ouvia-se algum exagero, gargalhadas frenéticas, mas, nada que preocupasse, ou que saísse da normalidade daquele ambiente. Na verdade ali estava ocorrendo uma festa de despedida.

    Lindomar, mais conhecido como Lido, garoto meigo, querido em toda redondeza. Era a alegria de sua família. Filho único de Dona Linda e Seu Gonzaga, uma família de agricultores humildes, sonho da esperança, o rapaz estava de malas prontas para a Capital.

    Tinha os traços puxados do pai. Cabelo preto, pele queimada de sol, olhos castanhos escuros, estatura baixa. Sua personalidade era oposta àquela que seu estereotipo mostrava, Menino matuto e bondoso, estava sempre com o sorriso no olhar e disposto a ajudar quem precisasse. Era o xodó, não só mais daquela família, mas, também de toda região.

    A partida estava marcada para a manhã seguinte. Um primo que acabará de chegar de São Paulo iria conduzi-lo na viagem. Segundo este primo, um grande Jornal de São Paulo estava contratando jovens para trabalhar. Talvez, esta fosse a grande chance de Lido.

    O garoto já imaginava como seria sua vida naquela cidade. Trabalhar era sua vontade, e muito mais do que isto, sua vontade era estudar. Ele fixava seus pensamentos em crescer , e na possibilidade de dar uma qualidade de vida melhor a seu pai e sua mãe. Em seus pensamentos, não demoraria muito para isto acontecer.

    No meio daquela festa alguns amigos chamaram Lido a um local mais reservado para que pudessem lhe dar um presente de despedida. Diziam que era algo que ele jamais esqueceria. O garoto prontamente atendeu o pedido dos amigos. Chegando no local, cada um pegou um copo e fizeram um brinde. Realmente aquela data era especial para Lindomar.

    Enquanto este fato ocorria,  a festa continuava acontecendo  normalmente, sem que nenhum convidado percebesse a ausência de Lido. Somente sua mãe sentiu sua falta por algum instante, todavia, sem preocupação alguma, pensava que talvez o filho estivesse namorando.

    Instantaneamente, junto ao som das violas, acordeão, gaita, e canto, ouviu-se um barulho de tiros vindo da direção daquele caminho escuro. Alguns disseram escutar três disparos. Outros, afirmaram ser mais.

    A festa parou! Imediatamente todos correram até o caminho. Ressabiados estavam! Pensavam no que pudesse ter acontecido.

    Dona Linda lembrou que seu filho não estava na festa no momento dos disparos. Imaginou que alguma coisa tivesse acontecido com seu filho. Naquele momento seu corpo gelou, a boca secou, seu coração estava disparado. Aquela mãe começou a ficar desesperada. Dona Linda veio até a mim, e perguntou se eu tinha visto Lindomar. Respondi: “Tia, a última vez que o vi foi a mais ou menos quinze minutos atrás. Estava junto dos amigos”.

    Que momento angustiante! Os convidados estavam alvoroçados, boatos começavam a se espalhar. Entretanto, naquele local, não havia sinal algum de que alguma coisa estranha tivesse ocorrido.

    De repente, na direção oposta, um grupo de rapazes corria rumo a multidão. Muito assustado, o grupo queria saber o que havia acontecido. Tinham escutado diversos disparos e afirmavam que talvez Lido estivesse correndo perigo. Segundo eles, Lido disse que tinha algo pendente para resolver, e teria que ser naquela noite. Despedira do grupo e comentou que se encontrariam mais tarde.

    Todos ficaram pasmos naquele momento! Aonde estaria Lindomar, o querido Lido? Será que realmente algo tinha acontecido? Era inevitável todos aqueles questionamentos.

    Lembrei-me de uma árvore que ficava ao pé do monte. Nela, Lido e eu passávamos a tarde inteira sonhando o que seriamos quando crescêssemos. Falávamos de um futuro diferente. Eras momentos incríveis. Aquele momento de amizade lembrava Benhur e Messala no principio.

    Talvez, Lindomar estivesse lá! Se fosse assim tudo estaria bem.

    Conduzi a multidão até o local. Ficava não muito longe do caminho. Ao chegar lá, tudo estava estático, parecia que o tempo não havia passado por lá. Uma calmaria de dar inveja, mas nenhum sinal do Lido.

    Quando olhei para o chão, não pude acreditar! Meus olhos foram tomados por lágrimas...   Algo estava caído ali! Fui correndo desesperadamente até o pé daquela árvore. Sinais de sangue havia no local.

    Foi quando escutei:

    “Primo, acorda! Chegamos na Capital que você tanto falo”.

     



    Escrito por Rodrigo às 12h55
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    CONHECIMENTO

     

     

     

    Teu conhecimento por ti és morto,

    mas, se alguém te usa és fonte de conhecimentos infindáveis...

    Tua realidade é lúdica

    Tua natureza avassaladora!

     

    Fixo meus olhos em tuas ramificações

    e alucina-me com o extrato de tua doce seiva.

    Teu néctar me traz sapiência,

    Findou-se mais uma estação!

    Minha liberdade me transforma em prisioneiro...

    Passo horas dentro de ti.

    O teu silêncio, às vezes, pertuba-me,

    Sou eu que não consegue te entender?



    Escrito por Rodrigo às 20h02
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    REENCONTRO

    Após algum tempo o sentido volta a ser sentido,

    e a união retoma sua força geradora.

    Morre mais uma poesia caduca,

    Mais uma faceta é oculta.

     

    Assim é mais bonito, é mais valente, é mais contente...

    Encontrar-se num Oasis, esquecer a prosa,

    Insultar a soberba, escrever manifestos.

     

    Assim é mais sincero, é mais cru, talvez nu!

    Catalizar o sentido do próprio sentido

    e sensibilizar a expressão de amor. 



    Escrito por Rodrigo às 22h09
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    CONTEMPLAÇÃO

     O dia é tão belo,

    O sol, às vezes, amarelo.

    Encanto-me na sombra,

    e contemplo o descanso.


    A brisa toca minha face,

    e as águas batem em meu peito!

    Numa manhã de domingo,

    descanso eminente.


    Lindo Céu que toca minhas retinas...

    Pássaros rasantes que rasgam o ar levemente.

    Tudo converge na imaginação...


    Tudo converge em ação.

    Ação de graça, na exteriorização do gesto interior.

    Na imaginação de apenas tudo contemplar!



    Escrito por Rodrigo às 13h13
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    CONCURSO LITERÁRIO

    A entrega dos prêmios do V Concurso de Poemas e Contos Octávio Bastos foi realizada na noite de quarta-feira, 19/10, reunindo os amantes da literatura no Centro Cultural da UNIFEOB.
    Foram premiados três autores na categoria contos e três autores na categoria poemas. A colocação dos trabalhos não é discriminada, regra que o concurso adota há alguns anos, com o objetivo de enaltecer as obras de todos os classificados.
    Dentre os vencedores estão ex-alunos da UNIFEOB, um aluno do Curso de Direito e um aluno da Pós-graduação. 

    Os textos classificados foram lidos e declamados pelos alunos do Curso de Letras, que assim homenagearam os participantes.

    Vencedores da categoria contos:


    Hediene Zara com o texto: Aquele Velho Calabrês;

    Luiz Fernando Dezena da Silva – representado pela sua mãe a acadêmica Luiza Dezena da Silva, com a obra: Et coetera;

    Pedro Antunes Parangaba Sales escreveu: Meu Jardim de Infância.

     

    Vencedores da categoria poemas:

    Ana Fátima de Souza Jacinto, com o poema: Mulheres;

    Nayane Barbosa Fernando F. Cunha, autora do poema: Da Janela do Meu Quarto eu Vejo;

    Rodrigo Franco de Oliveira, com: Metamorfose

     

    *Texto extraído do site do UNIFEOB. Autoria de Thaís Araujo.



    Escrito por Rodrigo às 20h44
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    FACES

    Todas as fases, em face, a vida,

    E todos os sonhos, sonhados vividos.

    Transbordam no peito

    na singela companhia do sentimento.

     

    Toda estrutura de perdas e ganhos,

    Eloquentes ou simples.

    Na simplicidade da vida,

    que um dia é vivida

    na suprema harmonia

    Entre homens e sonhos.

     

    O enunciado hoje é anunciado.

    E nos faz ver a grandeza do céu.

    Novas histórias sempre serão contadas

    O universo não para!

     

    Mas, se ainda sei escrever

    é em razão de ainda saber pensar.

    Saber amar,

    Saber viver!

     

    Noites nem sempre são escuras.

    Nas casas as luzes acesas estão

    Quando a mente serena fica,

    gigantes são vencidos.



    Escrito por Rodrigo às 12h50
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    GRANDE FINALE

    Na sua vivência,

    na sua cadência,

    na sua competência

    Na sua ausência.

     

    nos seus sonhos e planos,

    espairece pensamentos brandos.

    a ligação ocorre de modo fantástico

    aglutinam-se em conexões neurais.

     

    sua juventude se transforma em rugas.

    em certo momento nada responde mais!

    fica-se triste... brusca é a...

     

    Pusilanimidade ou coragem?

    Afogou-se Narciso! Afoga-se a vaidade!

    transpassado é o medo pela Plenitude.



    Escrito por Rodrigo às 19h40
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    CONTO

     

    Era uma noite tranquila

    Alguns ratos andavam normalmente.

    Aquela era uma casa antiga,

    não morava ninguém por ali.

     

    A região era bem conhecida,

    Bem conhecida da Companhia Central.

    Mas, o que poderia acontecer

    Aquilo era uma situação real?

     

    Foi quando da casa alguém saiu

    Com um fraque preto e bem arrumado.

    Ouvira falar:

    "Dia era festa no arraial".

     

    Os passos eram lentos e calmos,

    pareciam um relógio inglês.

    Toc, toc, toc...

    Logo, ele chegaria ao seu destino.



    Escrito por Rodrigo às 20h23
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    O SENTIMENTO PREVALECE SOBRE A LÓGICA

    Quando palavras somem

    sobram sentimentos e dor.

    Nem tudo é tão certo,

    nem todos são sinceros.

     

    Não se preocupar é a grande forma

    de enaltecer a vida.

    Mas, é tão difícil acreditar...

    Os sonhos são vãos!

     

    Não tenho medo do futuro

    Ele é meu amigo.

    E o presente,

    realmente, é presente!

     

    Respirarei, tranquilamente,

    Exporei meus sentimentos.

    Não aguardarei reconhecimento.

    Feliz eu sou!



    Escrito por Rodrigo às 11h33
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    CEGUEIRA

    Notórios feitos são realizados

    Disfarces dão o tom da conversa.

    No âmago a verdade não é escondida

    Mascaras caem. Acaba-se o carnaval!

     

    Não veem a realidade um palmo à frente.

    Não importa. Não faz mal...

    Reações são ReFl e Xos de ações

    Qual será a colheita da próxima estação?

     

    De longe, pode-se ver um brilho. De perto os olhos...

    Olhos receosos, chorosos e cheios de ambição.

    Olhos sem olhos, a cegueira propagou!

     

    A dor já não toca, apenas retoca a hipocrisia Imperialista.

    Faculdades de escolhas são roubadas

    quando a vida é guiada apenas por emoções! 



    Escrito por Rodrigo às 22h29
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    BOLETIM INFORMATIVO MS NEWS

    Uma das maiores empresas de consultoria do mundo, a Moore Stephens Auditores e Consultores, publica mensalmente o Boletim Infomativo MS News. Na edição de Julho, e Setembro de 2009, na página cotidiano, foram publicadas, respectivamente, as poesias FILA e CEGUEIRA. Vale lembrar que estas poesias são de minha autoria.

     Segue abaixo link

    http://brazil.moorestephens.com/Latestnewsletters.aspx



    Escrito por Rodrigo às 07h14
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    PAI

     

    Pai! Lembro-me de ti. Quanto tempo já passou!

    Tua voz maravilhosa. “Pavarotti de São João”.

    E eu ali, pequenino só ouvia,

    Admirava e tentava imitar.

     

    O tempo passa pai,

    E eu mudei.

    Mas a essência não se ausenta

    Teus ensinamentos estão em mim!

     

    Mas não foi só você que me moldou,

    Eu também te moldei!

    Aprendemos tantas coisas juntos...

     

    De tudo que deixaste, maior herança foi:

    Fraternidade e paciência.

    Não com palavras, mas com gestos.

     

    Amo-te pai! Jamais irei te esquecer!



    Escrito por Rodrigo às 12h29
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    VIVA BEM CONTIGO

    Você nem sempre se conhece.

    Inteligência nem sempre é a solução.

    Você tem certeza de qual é a resposta?

    Apenas olhe o céu e veja o azul...

     

    Bendiga a cantiga de um amigo

    Ele realmente tem zelo por você.

    Mas, nunca espere apoio, talvez ele possa não vir.

     

    Compartilhe sonhos e esperanças,

    Olhe para as necessidades alheias

    Note que você não está sozinho, neste mundo.

    Traga contigo conceitos relevantes

    Ignore insultos e ofensas.

    Goze a vida da maneira mais bela.

    Oportunidades aparecerão todos os dias!



    Escrito por Rodrigo às 23h24
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    REFLEXOS

    São quase cinco horas da manhã!

    Acordado estou, pensando neste dia que passou.

    Quantas coisas foram realizadas,

    Volto-me em refletir...

      

    Enalteço quem consegue descansar

    Tenho certeza que tudo mudará!

    As histórias nem sempre são belas,

    Todos disputam alegria.

      

    Junto a tudo, vem a vaidade,

    o desejo de querer ser mais.

    Descansar é um resultado formidável.

      

    Não agir, pode ser agir da forma correta.

    Estarei em busca da felicidade.

    Acalmarei meu coração!



    Escrito por Rodrigo às 14h45
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    ESTRESSE

     

    Cansei de estar cansado

    Ouço tantos termos repetidos...

    Desenvolver, trabalhar, vencer.

     

    Um dia andei pela terra,

    Minutos de animação específica.

    E lia uma história tão bela

    Frutos da automoção holística.

     

     

    NOVA VERSÃO


    Cansei de estar cansado,

    Silencio tantos termos repetidos

    Check List, Código, COFINS, Custo Padrão, Despesas Fixas, Distribuição, Fechamento de Cotações, ICMS, IPI, Estudo de Preços, PIS, Plano de Negócios, Promocional, Representação, Reunião de Monitoramento, Substituição Tributária, Tabela de Preços.

    Trabalho no desenvolvimento do triunfo!

     

    Um dia andei pela terra,

    Horas de animação específica.

    E contava uma história emergente,

    Os termos continuam cansados...

     



    Escrito por Rodrigo às 14h32
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    LINGUAGENS

    Linguagem técnica,                                                 linguagem culta.

    Linguagem de figura,                                             linguagem curta.

    Linguagem poética,                                         linguagem coloquial.

    Linguagem verbal,                                                 linguagem oculta.

     

                                               LiNgUaGeM

                                                    ViSuAl

     

                Linguagem Usual.

                                        Linguagem para o Bem.

                                                                  Linguagem para o Mal.



    Escrito por Rodrigo às 12h29
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    LÍMPIDO

    Um novo dia a cada nova estação.

    Passeiam em desbravadas formas,

    e impressionam com imprecisão.

      

    O horizonte canaliza a áurea de todo esplendor.

    Magníficos lugares rompem à mesmice matinal!

    Suaves ventos tocam em face a novidade,

    Ninguém sabe a real situação monumental.

      

    Limpar como se pensa,

    é pensar como se limpa

    através de uma auto avaliação.

      

    Sensação estática produz natureza e ficção.

    Dependência é uma expressão usual!

    O egoísmo paira sobre nosso modelo.

    Como afligem processos em rede nacional!



    Escrito por Rodrigo às 12h33
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    PINTURA

     

    Finos traços nascentes do poente do pintor.

    Ele se debruça sobre a obra e se perde

    E de forma suave abusa das cores.

     

    Mas, elas nem ligam... Gostam!

    Fundem-se em tons da imaginação do criador

    E deixam de ser mortas, para tornarem-se arte.



    Escrito por Rodrigo às 00h06
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    METAMORFOSE

    Esperei você pela porta da frente.

    Os dias passaram e enriqueci meu vocabulário.

    Trabalhei o campo lexical

    Dei de servir a palavras abandonadas.

      

    Elas estavam famintas, quase mortas!

    Clamavam, com fome, como pedinte esperando pão

    Ansiavam por estarem na boca do homem.

      

    Levantei o respeito que estava jogado num beco,

    Escutei o que a verdade tinha para falar.

    Ajudei a esperança recuperar suas forças.

    Fiz um mutirão para arrecadar corações.

     

    Foi quando eu vi você entrar pela porta da frente

    Esqueci todo meu vocabulário!

    Então, o que era estático, tornou-se um ato.



    Escrito por Rodrigo às 23h36
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    ILUSÃO

    Da praia eu vi

    o meu cavalo alazão,

    correndo no mar,

    voando no chão.

     

    E deitado corri.

    Dançando no ar!

    E feliz eu me vi,

    jogando confete no lar.

     

    Uma cantiga eu fiz.

    Desnudei a falsidade.

    Então sincero eu fui

    Que poesia mais chata!



    Escrito por Rodrigo às 00h51
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    CONTEXTUALIZAÇÃO

    Esculpida está nossa geração.

    Aparecem, todos os dias, novos robôs digitais.

    Teclas ligam o sentimento

    DESLIGUEM a mesmice psíquico-social!

     

    Verdades e mentiras,

    Liga, desliga. Liguem, desliguem

    Mais fácil é seguir a multidão.

     

    Por quais atos serei lembrado,

    serei eu mesmo esta geração?

     

    Tudo é tão distorcido

    Nem notas timbram o tom.

    Um grave, outro agudo...

    palavras fazem parte do contexto atual.

     

    Criam-se ambientes, novas cores, velhos sons,

    inéditas frases, filmes dramáticos.

    Surgem novas representações.

    Todas as artes nascem e dependem da vida!



    Escrito por Rodrigo às 23h58
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    "MAR PORTUGUÊS"

    Lampejos renovam as idéias do escritor.

    Uma luz acende, outra apaga.

    Ele continua em seu mundo?

    É paradoxal. Há a procura da descoberta do novo mundo!

     

    Já descobriram a “renascilândia”, “barrocolândia”,

    O simbolismo ou naturalismo ou “modernilândia”.

    Novas expedições já estão a caminho.

    Iremos desbravar mares alfabéticos!

     

    “Ó mar português, quantos dos teus” escritores

    Por ti choraram.

    Quantos dedicaram a vida a te encontrarem!

     

    Há uma dura realidade...

    Não sejamos tão ignorantes!



    Escrito por Rodrigo às 22h52
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    DISPUTA

    Minha noite,

    Cara noite minha!

    Lá fora está o caminho dobre

    Aqui está a família.

     

    As poesias mais belas,

    são aquelas que não recitamos,

    mas, as que vivemos.

     

    Dividir, ajudar, curar as feridas.

    Receber o pobre

    não fazer distinção.

     

    Qual a cor mais bela diante da oratória mais nobre?

    Quais anéis fazem um colar de ouro?

    Quem come feliz na cozinha imunda?

     

    Refiz os cálculos,

    apurei os custos e vi:

    Distribui a riqueza,

    espalhei os meus sonhos.

     

    Quis mudar o mundo,

    porém, o mundo também tentou me mudar!

    A luta é intensa...

    As trincheiras estão cheias.

     

    Eu não jogo sujo,

    com inverdades e sutilezas vãs!

    Minha arma dispara a verdade

    Minhas bombas atingem o coração.

     

    Bum... Bam...

    Estilhaços por todas as partes.

    Sentimentos cobrem o campo de guerra!

    Tráááá... Pá.. Pááá... Páá...

    O fuzil foi trocado pelo toque sutil.

     

    O socorro chegou!

    É hora de reconstruir.

    Deixar para trás toda a tristeza

    e ressuscitar o coração.

     



    Escrito por Rodrigo às 22h30
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    AMANHÃ

    O amanhã pode ser tarde!

    Pode nem existir O amanhã.

    O amanhã, as vezes, nem sorri pra você...

    Não passa hoje aqui O amanhã.

     

    O amanhã não pode ser visto,

    É apenas convicção O amanhã.

    O amanhã é um sonho infinito,

    O filho caçula é O amanhã!

     

    Felicidade não é estar, é ser!

    No entanto, no mundo contemporâneo,

    quase sempre estamos!

     

    Medo nos faz perder oportunidades.

    O fogo é o hoje,

    a fumaça O amanhã! 



    Escrito por Rodrigo às 17h23
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    COD1F1CAÇÃ0


    A arte das palavras

    O ribeiro do limbo.

    A leitura metrificada

    O fetiche da esperança...

     

    O lado mais claro

    A estrutura parisiense

    O tópico mais utópico,

    A meticulosa aula!

     

    Tanto faz quem faz!

    Articulações paradoxais inundam a cama alheia.

    Inundam os sonhos ambíguos.

     

    O que faz? Quem fez?

    Recônditos se abrem em meio ao peito.

    Palavras certas descifram os enigmas!



    Escrito por Rodrigo às 07h12
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    ALGUM POEMA

     

    Pensei no valor que tenho que dar... Ignorei-te, fui grosso!

    Foi quando vi esta noite, minha memória esquecida,

    minha alegria sumida!

    Palavras que não existiam! Palavras feias, que machucam profundo...

     

    A vida é a esperança que nasce onde nada existia!

    Onde a ciência não consegue explicar, onde o sonho fala mais alto,

    onde o fim renova o ciclo perfeito.

     

    Se ao menos uma pessoa vir poesia,

    refletir e pensar! Querer aprender,

    sem reclamar! Sem arrogância, e desfile tão fútil!

     

    O que realmente importa? Quem se importa...

    Quantas frases de efeito poetas usaram

    mas, sincero apreço e grande dor, quem se propôs?

    Não quero rimar só para agradar...

     

    Poderia dizer: "Balão, pão, mão, macarrão",

    ou então: "café, pé, guaxupé".

    No entanto, verdades são mais difíceis, são mais profundas,

    Machucam mais!

    Rasgam o peito ferido! Desperta o homem do sono...

    Mostra o quanto somos frágeis e fracos.

     

    Se chegou até aqui, diversas coisas entendeu.

    Passou por caminhos estreitos. Viveu a vida!

    Sociedade desfeita, grupos unidos, solidão rodeado de pessoas.

     

    Lembro-me de uma história que acabei de inventar!

    Nela não há "Inês Pereira", nem "Iracema".

    Nem tragédia, nem...

    Apenas história que fica para a história!

     

    "Certo dia o Sol acordou e não quis mais brilhar. Estava cansado de fazer sempre a mesma coisa; iluminar, aquecer e brilhar. E pior... estava de mau humor! Quando então, estava prestes a se apagar, pensou consigo: - Por que existo? Então, após algum período em silêncio a resposta veio. A Luz que ele emitia, aquecia, dava vida e iluminava o caminho. Não dava para se esconder. Na verdade, se tentasse, explodiria".

     

    Volto a poesia, querendo esmiuçar a história.

    Desejamos a vida dos outros, isso não dá para esconder!

    Assim, deixamos nossos sonhos,

    e esquecemos de viver.



    Escrito por Rodrigo às 21h34
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    PENSAMENTOS

     

    Apertei minhas palavras

    Espremi minhas idéias.

    Então, como azeite que unge, ou mirra tão fina,

    Poesias surgiram!

     

    Como um cavalo no trote,

    ou , como o sopro do vento

    Vejo a velocidade - "Pensamento".

    Imagino novos tempos!

     

    Tempos, onde o homem é a medida do ser!

    Tempos, onde a riqueza é a mais pura vida.

    Tempos... Tempos, onde surgem reais inspirações.

     

    Enstristece-me o homem que ganha na doença alheia.

    A eliminação de reter é a prosperidade!

    Armas que matam são ganância e poder.



    Escrito por Rodrigo às 21h09
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    LEMBRANÇA

     

    O tempo é curto

    mas dá tempo para curtir.

    Novidades acontecem,

    Certo é o amanhecer.

     

    Qualidade na harmonia;

    Café cheiroso.

    Histórias recentes;

    Olhar que entrega.

     

    Menina mulher, ou mulher menina?

    Esperança recomposta...

    A lua está lá fora,

    quem vem entregar?

     

    O papel é feito para ser escrito

    Quantas coisas você escreveu!

    Não sei... devo contar?

     

    Mais uma vez fui surpreendido;

    parece que a indeferença passou.

    Sinto-me radiante mesmo sendo de noite!



    Escrito por Rodrigo às 20h28
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    EU RIO COM O RIO

    Eu rio com o rio,

    que deságua em mares tranqüilos

    e leva tudo que encontrou.

     

    Eu sonho com meu sonho,

    a menina que andava, me beijava,

    e desfilava com seus cabelos de mel!

     

    Eu canto em meu canto,

    harmonias tão lindas, com sincero apreço,

    que elevam louvores ao céu!

     

    E por rir,

    sonhar

    e cantar!

    Eu escrevo poesia

    aguardando a inspiração chegar!



    Escrito por Rodrigo às 20h20
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    AMADURECER

    Hoje é o melhor dia da minha vida!

    Aprendo a ver a beleza dentro de mim.

    Hoje, problemas deixaram de ser monstros que atormentam.

    Respiro o ar com toda minha intensidade!

     

    Insiro novos conceitos, e posso ver - agora,

    novos lagos cristalinos,

    sonhos novos mais floridos,

    fogo de novas labaredas!

     

    Liberdade, o maior dom do homem!

    contudo, nem sempre compreendem a verdade.

    Rebeldia não significa ser livre,

    é a fraqueza de quem almeja força.

    Ambas caminham lado a lado

    Não é fácil distinguir uma da outra.

     

    Lembranças são sinais de nossa vida,

    são marcas que carregaremos para sempre;

    onde estivermos ela nos acompanhará.

    Somos mais do que cinco sentidos,

    somos "O SENTIDO"!

     

    Hoje, tudo caminha na mesma direção.

    O silêncio inspira reflexão?

    Hoje é o melhor dia de minha vida! 



    Escrito por Rodrigo às 17h59
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    MORTA ARTE


    Que horror! Os sonhos dos poetas acabaram.

    Encontrem, por favor, alguém que ainda faça poesia! 

    Digo, alguém que viva a poesia,

    não quem a venda como um caixão.

     

    A arte está extinta

    mas, ninguém se detém em enxergar!

    Tudo é comércio tão vendido,

    vendam o sentimento de inspiração.

     

    Hoje, tudo não é tão mais bonito,

    faltam desejos e considerações.

    Salvem os corações das artes

    Afastem os falsos profetas literais.



    Escrito por Rodrigo às 14h43
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    OBRIGAÇÃO

    Tenho que escrever :

    escrevo, escrevo, escrevo.

    Tenho que crescer :

    cresço, cresço, cresço

     

    Tenho que viajar :

    viajo prá cá...   prá lá...   Bahia...   Maresias.

    Tenho que me cuidar :

    ExErCíCiO, passeios, descanso, "ALEGRIA"!

     

    Tenho  que  cantar :

    tra-la-lááá,  li-ri-lííí,  lu-lu-lúúú.

    Tenho que descansar :

    descanso, descan..., des... zzzzzz!



    Escrito por Rodrigo às 04h57
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    SENTIDOS

    Q u e m  é  o  q u e  é  n ã o  p r e c i s a

                                       s e r  o  q u e  o s  o u t r o s  q u e r e m .

    Q u e m  n ã o  s a b e

                                       o  q u e  q u e r

    f i c a                b e m               a q u é m    d a    s i t u a ç ã o.

     

    Q u e m  s e  i l u d e             c o m          u m  s o n h o ,

    d e s m o r o n a r á  c o m o  c a s t e lo  d e  b a r a l h o ,

    Q u e m  s o n h a                    c o m  s e u      s o n h o

    d e d  i c a r á  t e m p o  e  a t e n ç ã o.

     

    F u t i l i d a d e  é                      m a r c a  r e g i s t r a d a

                  d e  q u e m  n ã o  c o n h e c e  a  s i  m e s m o.

    A t o s  i m p e n s a d o s           s ã o  t ã o  n a t u r a i s

    q u a n d o           s e      u s a        a p e n a s  e m o ç ã o .



    Escrito por Rodrigo às 04h33
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    APARÊNCIAS

     Luzes iluminam a cidade,

    em terra de aparência há manipulação.

    Rugas demostram a idade,

    Feitas as  evidências, perde-se o chão.

     

    Zé povinho, zé povão,

    tudo ocorre em São João.

    Churrasquinho ali da praça,

    é quase tudo de graça.

     

    Na avenida principal

    parecem todos muito bem.

    Um choppinho geladinho,

    muitos entram num barzinho.

     

    Até a rima de uma poesia,

    tem que ser algo bem regional.

    Comer mortadela com alegria,

    cabe na parte da coluna social. 



    Escrito por Rodrigo às 04h01
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    TEMPO


    Quanto tempo não te vejo.

    Quanto tempo não escrevo.

    Quanto tempo não te olho.

    Passa o tempo, eu passo o tempo!


    Na mais bela companhia.

    No mais belo compasso.

    Ritmos com rimas e prosas.

    Proezas da vida!


    O tempo que não era tempo,

    de precisar de tempo,

    para fazer o próprio tempo,

    acabou!


    Estarrecido, aborrecido, envelhecido.

    São tantos títulos,

    a coleção não está completa.


    Falta o amor, a beleza, dedicação...

    Falta também paixão!

    Falta paciência, tolerância, amizade,

    falta também lealdade.


    O frio existe!

    O calor aquece.

    Mas, o pior frio que existe,

    É aquele que atinge o coração do homem!



    Escrito por Rodrigo às 13h04
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    REVOLTA DAS POESIAS

    Uma poesia se joga da janela!

    Outra largou o trabalho e foi à guerra.

    O grupo de elite das poesias planeja fazer revolução,

    e, agora, marcham rumo às praças.

    Em todos jornais é anunciado “ Revolta das Poesias”!


    A ditadura não acabou.

    Hoje, está na mão dos catedráticos.

    C a ó t i c a está a situação !.!.!.

    Poesia... Valente poesia,

    hoje, se rebelou!


    O levante começou.

    Sirene e alardes soam nas cidades.

    NÃO HÁ como mudar a HISTÓRIA.

    As poesias dominaram tudo.

    Tudo, inclusive nosso coração!



    Escrito por Rodrigo às 12h57
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    POETA


    Hoje, algo novo aconteceu.

    O poeta está vivo!

    Não apenas vivo...

    Está radiante de vida.


    Ontem, algo novo também aconteceu!

    O poeta estava vivo..

    Não está mais!

    Pois ontem era um, hoje é outro.

    Tem novas células, novos pensamentos, respira um novo ar!

    Vê um novo céu, conhece pessoas novas.


    Irradia confiança e esperança.

    O poeta não vive em meio às poesias...

    A poesia vive dentro do poeta!


    O poeta às vezes é surdo, mudo, cego.

    Não escuta a dor da sociedade,

    não fala das injustiças que existe,

    os olhos fecha em meio a dor.


    Mas, o poeta também é lírico,

    profundo...

    E o futuro do poeta... O futuro?

    É o sonho que não se pode tocar!



    Escrito por Rodrigo às 12h55
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    600982

     

    A poesia denota influência.

    Em certos meios,

    A metade não é divisão!


    Em certas histórias

    A história não Vive!

    Em meio à tempestade

    A resposta é fazer solução.


    A cama

    Acalma!

    A calma.


    Idéias virtuais passam e eu me perco!



    Escrito por Rodrigo às 00h48
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    REAL IDADE

    Espiei meus desejos.

    Sonhei os sonhos de meus sonhos.

    Aglutinei a esperança perdida.

    Pendi o tempo de jogar


    Representei um teatro barroco

    Dispus um milhão de poesias.

    Atendi meu pedido escondido

    Escondi meu pedido atendido!


    Libertei poesias presas em gaiolas

    Curei palavras que feriam a dor...

    Adornei minha canção dissonante

    Adormeci numa fração de segundos. 



    Escrito por Rodrigo às 00h44
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    FACHADA

    Amuado estou aqui

    Meu espaço tento buscar.

    Fico quieto em meu canto,

    repito minhas poesias.

     

    De tanto escrever

    as palavras sumiram.

    Nosso gestos demostram

    insegurança e alegria.

     

    Meu amigo sou eu!

    Espaço e tempo é alegria.

    Apenas mostro minha fachada

    Redundante eu sou!

     



    Escrito por Rodrigo às 00h25
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    SEM TÍTULO

     

    Essa minha tal poesia.

    Que sempre corre junto ao vento,

    e ocorre naturalmente.

     

    Esse jeito tão meu.

    Que desconhece a derrota na luta,

    mas, que, às vezes, se prosta pela vaidade.

     

    Esta total companhia.

    Eu sei que a tenho,

    e em meu mundo a resenho.

    Como conquista sublime!

    E respeitosa volúpia.

     

    Este total desafio,

    que desbrava medos conflitos

    Anuncia descoberta continua,

    concilia esperança e planos.

     

    O rebento que nasce é real imagem de dor e amor.

    O afeto ao feto começa com um simples querer.

    Toda real alegria, e felicidade,

    acompanha o homem

    honesto consigo.

    Ainda crê.

     

    Não conheço desgosto.

    Talvez a utopia?

    Amar de olhos fechados

    é tão bom quanto voar!



    Escrito por Rodrigo às 17h08
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    ALGUMAS VERDADES

     

    O instante mudou toda a paisagem,

    E os casos capturaram as histórias

    Sem o desejo e o desajeito da palavra,

    os espaços ocupados foram fortalecidos.

     

    Bom é saber,

    mas, melhor é usar o saber!

    Bom é viver,

    mas, melho é desfrutar da vida!

     

    A lembrança, esperança, dignidade,

    Faz parte do presente que vem do futuro.

    Colher sem saber o que se plantou

    É realidade atual!

     

    Meu arranjo amplia o desejo de superação.

    Minha casa é um lugar de paz!

    Nosso encontro, encontra lugares tão lindos,

    A beleza nem sempre é natural.

     

    A música que toca me faz lembrar de você.

    E sei que você se lembra de mim a cada manhã!

    Ponho meu coração para se fortalecer,

    e desencadear a pureza que contagia todos nós!

     

    Ah, meu Deus! Homens mudaram seu afeto natural!

    Esqueceram que tudo isso vai passar.

    Ensina-nos a viver com alegria e abundância.

    Ensina-nos a viver através do perdão!

     

    Todos, todas algumas tolas invocações.

    Solto, largado. Solos de suor em vão.

    Mas, é isso... Esperar, esperar e...

    Trabalhar pelos sonhos que surgem no coração!       



    Escrito por Rodrigo às 19h54
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    INTERNETÊS

    Em uma era tão confusa,

    com versos e prosas digitais.

    Os poetas grandes e antigos,

    ficariam pasmos

    com o bit e terabyts.

     

    Tudo ocorre muito rápido,

    a futilidade torna infrutífera a nossa língua.

    Rica e forte são as vitaminas,

    dadas aos montes a nossa juventude senil!

     

    Drummond na internet escreveria:

    Eu ñ sabia q a mha história era + bonita dk a d Robson Cruzoé”,

    Oswald de Andrade zombaria:

    "Naum há luta nem terra d vocações acadêmicas. Á só fardas. Os futuristas eh os outros".

     

    Fernando pessoa assim diria:

    Td vale a pena qd a alma ñ eh pequena”!

    Até Manuel Bandeira hastearia sua bandeira,

    em poesias online nas salas de bate papo!

     

    Mas, posso ser eu.

    Um moço jovem a escrever!

    Rindo... kakakaka... Ou zombando... huahauahu...

    Querendo o Internetês viver!

     

    Os gramáticos já estão armados

    Preparados à “Guerra Final”

    Com rajadas de verbos, desinência,

    Regência e ortografia oficial!

     

    Todavia, não é utopia dizer,

    Letras e regras não dão alegria.

    A vida é a verdadeira poesia!

    Axu q vamos renascer...



    Escrito por Rodrigo às 14h56
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    HOJE


    Hoje é um dia de alegria,

    mas sinto...

    Meio incompleto,

    esperando respostas agradáveis chegarem.


    Hoje é um dia onde o velho se encerra,

    mesmo não sendo ano novo.

    Meio ferido estou,

    mas rapidamente vou me curar.


    Hoje é um dia de agradecimento,

    honrando quem me honrou.

    Expressando solene carinho,

    respeitando quem me respeitou.


    Hoje é um dia de festa,

    com músicas e oração de magnifico.

    Recebendo os louros da glória,

    pegando o diploma na mão.



    Escrito por Rodrigo às 14h48
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    PALAVRAS

    Novamente estou a escrever,

    e a dar vida às palavras que sobraram!

    Renascer, restaurar, renovar, resplandecer.

     

    No mato, no campo, no banco,

    Na cidade, na mocidade, na linguagem.

    O espaço que é perdido,

    desapercebido estás!

     

    Querida, morena, morta, revolta, descanse em paz.

    Mas, palavras tão grossas, modificam...

    Real, realeza, grandeza incondicional!

     

    Alegra-te! Esforça-te!

    Verás o que irá acontecer!

    Não temas, mas chores!

    Não deixes teu coração endurecer.

     

    A piada do pinto,

    que pia sobre a pia...

    A pinta da onça,

    que pintada está, e briga com o pinto,

    querendo pintar.

     

    Prolixo e ambíguo,

    O ser humano pensa só em seu umbigo!

    Tão carnal, e normal,

    A norma culta tem que prevalecer.

     

    Despeço-me, e vou...

    Minha poesia estou a encerrar!

    Boa noite, minha querida!

    Deixa eu te cobrir!



    Escrito por Rodrigo às 14h43
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    INCOMPREENSÃO

    Hoje não pude me conter!

    Já não me escondo mais.

    Apesar de eu tentar ofuscar meu brilho...

    A beleza sempre aparece


    Não quero sair pela porta dos fundos

    Mesmo que eu acabe ficando no fundo!

    Será que eu agüento?

    Saberemos através do tempo

    Lindas palavras meu amor!


    Triste é a rosa que não aproveita o orvalho da manhã.

    Feliz é o leão que nasce para conquistar!

    Inconfundível é a dama da noite que exala seu perfume


    Apague! Apague!

    Parece que todos não cansam de dizer


    Querem que eu venda meus princípios

    Mas, nem arrendá-los posso


    Façam a mim a mesma pergunta que Fernando Pessoa fez,

    e tão logo responderei.

    Serei breve e sincero


    Valores invertidos,

    Palavras não cumpridas

    Mentiras estabelecidas

    Dúvidas em honrar

    Ajudem-me a chorar!


    O meu continua sendo meu

    O teu sempre será teu!

    Apesar de ninguém pertencer a mim,

    A vida pertence a alguém especial.

    Cadê a poesia na tua escrita?

    Novamente me ponho a chorar

    Os últimos serão os primeiros,

    Estou cansado de escrever.

    O caminho é estreito...

    Apenas contemplo.

    Sinto me tão apertado

    Minha alegria modificou!



    Escrito por Rodrigo às 14h42
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    DEIXAR

    Quero a bondade, e a beleza dentro de mim!

    Compreender coisas simples,

    e entender o significado de crescer.


    Cresci!

    ... Já sonhei ...


    Fui inteiro,

    tenho saudades!


    Fui forasteiro,

    sou de casa.


    Já não sou mais criança,

    mas, tenho a mais bela esperança,

    que nos mais lindos lagos,

    estão as águas mais claras

    que limpam e purificam todo corpo mais sujo,

    que muda qualquer pessoa do mundo,

    que tira e mata a maldade da alma!


    Sou mais que o pó.

    Sou vida!

    E por mais que mente esteja iludida,

    no dia da despedida,

    a verdade

    em fim, chegará!



    Escrito por Rodrigo às 13h37
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    EXPRESSÃO

    O eixo que separa

    O beijo que cala

    A capa do ermitão

    A fuga do vilão

     

    O sol que amanhece

    A política que aborrece

    O medo que dispara

    A fé que repara

     

    Dias e noites, nos cantos, aos cantos

    Loucuras do vento, na noite de amor

    Sonhos, sondas, sonidos gritantes

    Farrapos na alma, em uma terra sem dor

     

    E a paz que não apaziguava

    Era a mesma que se procurava

    Em palácios mentais

    Com espadas mortais

     

    Tudo sempre muda

    Muda tudo sempre

    Sempre tudo sobe

    Sobe sempre tudo

     

    O capanga também sente

    O valente também mente

    O príncipe também ressente

    Todos eles desfrutam da flor

     

    Quadros ilustram qualquer dissabor

    Espelhos refletem o exterior

    Feridas no peito, gosta-se de alguém

    Olhos demostram, o que a alma tem



    Escrito por Rodrigo às 08h06
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    AMABILIDADE

     

    Não existe mais pobreza,

    nem indiferença entre as pessoas.

    Hoje tudo está tão perfeito!

    Os campos começam a florir,

    Não se vê mais a dor,

    O coração do homem já mudou.

    Transportaram a pobreza, a dureza, o orfanato,

    Asilo, a fome, a doença, a tristeza.

    Todos comem em uma mesma mesa!

    Todos são elegantes e cordiais.

    Não há mais mingau,

    Nem leite estragado,

    Nem mel ressecado,

    Não há mais jornal.

    Viva o bem, viva o verdadeiro!

    O mar da bondade ...

     

    Moças passeiam pelos campos!

    Homens não se entristecem pelos cantos!

    Canto dos pássaros, canto do vento, canto do ar.

    Tudo é tão perfeito e lindo,

    espero não acordar ...

    Acorde em Sol Maior!

    Já não existe mais Dó nesta canção.

    Linda música que soa pelo céu!

    O fogo aquece, não desmerece,

    A mentira foi queimada,

    a tua luz me impressionou!

    Os impressionistas ficaram impressionados,

    de ver tanta luz, e a Cruz.

    Momento sem igual!

    Igualdade e respeito,

    em um mundo tão perfeito.



    Escrito por Rodrigo às 08h05
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    SONHADOR

    Quero expressar sentimento

    Quero exprobrar a maldade,

    Quero exprimir o alento

    Quero expropriar a vaidade.

     

    Quero desembainhar a espada

    Quero chocar o poema,

    Quero andar pela estrada

    Quero sonhar com a seiva.

     

    Quero chamar as crianças

    Quero espalhar a alegria.

    Quero comer com os olhos

    Quero tomar o champanha!

     

    Levantar o mar de águas cristalinas

    Avançar em direção às cordilheiras!

    Marchar rumo às nuvens do céu.

     

    Sonhar estando acordado,

    Pular corda e brincar de esconder.

    Correr e sentir o vento no rosto!

     

    Sinto os meus olhos com lágrimas,

    Vejo os seus olhos nos meus.

    Vejo um futuro brilhante,

    Sinto amor por você!



    Escrito por Rodrigo às 07h54
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    SUSPIRO

    Suspiro...

    Tudo é suspiro!

    Suspiro de amor, suspiro de dor

    Suspiro de morte, suspiro de vida!


    Suspiro de rejeição,

    suspiro de paixão.

    Simplesmente suspiro!


    No amor, aos pedaços, suspiro existe.

    Existe suspiro no amargo coração?

    Sinto meu peito tão quente,

    é o teu doce suspiro

    que acalma meu coração.



    Escrito por Rodrigo às 07h53
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    SOZINHO

    Só você me entende,

    sinto-me tão sozinho.

    Só você me compreende,

    Sigo meu caminho.


    Minha inspiração acabou,

    Escrevo com palavras rudes.

    A simplicidade faz bem à vida

    A vida é um dom...


    O que me consola,

    é que em certa hora, em certo lugar...

    Tua palavra suaviza tudo.

    E então toda minha alegria,

    manifesta em meu rosto estará.


    A tempestade já passou

    o céu está azul novamente.

    Obrigado por vir e, por me ouvir!


    Ensina-me mais ou pouco

    Faz-me um carinho,

    Quero demonstrar meu afago!

    Nunca me deixe sozinho.



    Escrito por Rodrigo às 07h53
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    RIO

    “O Rio de Janeiro continua lindo”!

    Mas, o Rio de fevereiro à dezembro...

    Envelheceu!


    Poema no funk, no pop, no rock.

    Camarada, passa a grana, desencana!

    O arrastão arrastou nossa moral.


    Quase não há mais tóxico nas favelas.

    Nas favelas não! Estão no pão.

    Não no “Pão de Açúcar”,

    e sim no pão do filho que não comeu,

    pois, o pai e a mãe consumiu.


    E o governo,

    parece uma prostituta,

    Querendo somente dinheiro,

    deixando o povo na mão.

    Come caviar e bebe vinho francês!


    Esqueceram das aulas de Teoria Geral do Estado!

    “Todo poder emana do povo e em seu nome será exercido”

    Rasgaram nossas leis

    Brasil, não se diz lei, sim light!


    Entretanto, neste Brasil...

    Tudo deixa à última hora.

    Logo... Logo! A água bate lá! 



    Escrito por Rodrigo às 07h52
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    QUESTIONAMENTO

     

    Minha ânsia é tão intensa!

    Sempre estou em meu caminho.

    Cada instante é tão sublime,

    Não devo caminhar sozinho!


    Apesar de tudo...

    Nunca se sabe...


    Busco respostas, encontro perguntas.

    Sei onde busca-lás,

    Vou até lá!



    Escrito por Rodrigo às 07h51
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    OPOSTOS

     

    Num instante tudo isto acabará.

    Estarei formado, contudo sempre a me informar.

    Quero descansar... Tenho que trabalhar!

    Meu trabalho em sala de aula,

    Hoje tenho que entregar.


    Bate o sinal,

    Para comprar precisa do sinal de entrada.

    Mexer com as palavras

    é o mesmo que mexer com um cão brabo.


    Crianças choram pois são indefesas.

    Adultos fingem por perderem receitas.

    As crianças sorriem pois nelas há pureza.

    Adultos riem por fazerem política!

    Afinal, quem é adulto e quem é criança?


    Caviar e jabá

    Vinho e Ki-Suco.

    Desencontro e desgosto?

    Gostoso é dormir!


    Oi, foi, é, será, estou...

    Custou, gastou, tentou, estragou.

    Blim blom, toca a campanhia!

    Vou atender... Já foi.



    Escrito por Rodrigo às 07h51
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    MADRUGADA

    Já passa da meia-noite,

    continuo a escrever.

    Meus pensamentos são flutuantes

    a caneta começa a mexer


    Penso tanto... Pouco Expresso!

    “Expresso São João”? Não existe mais!

    Da minha casa vejo o mirante.

    Telefone toca... Escuto seu sinal!


    Minha data chegou

    Descansarei tão tranqüilo.

    O cobertor já me cobriu!


    Sinto-me um gênio.

    Nem todos irão me compreender,

    Minhas idéias florescem!


    Flora e fauna? Tema atual.

    Destruição ao meio ambiente!

    Quase mataram a Língua Portuguesa.


    Desleixo, desprezo, descaso...

    Calem, mentirosos, a boca!

    Escutemos o silêncio natural.



    Escrito por Rodrigo às 07h50
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    LIBERDADE

    Liberdade

    Sonho ou realidade?

    A abolição ocorreu a tanto tempo.

    Aprisionadas estão as pessoas!

     

    Tantas imposições!

    A covardia dos poderosos torna-se conhecida.

    São tantas prisões.

    Os sonhos patrióticos ardem no peito!

     

    O que é mais belo?

    Preso e lutar por liberdade,

    ou livre na verdade estando preso?

     

    Pode ser o beijo,

    a chantagem.

    O dinheiro,

    a vaidade.

    O medo,

    a ilusão.

    A mulher,

    o patrão.

     

    Esquecemos que certos sonhos custam caro.

    Lembremo-nos de Tirantes! Figura ilustre!

    Tirada sua vida foi... Enforcado.

    Mas, o sonho de liberdade...

    Semeado aqui foi!



    Escrito por Rodrigo às 07h46
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    GUARDA

     

    Guarda-roupa,

    guarda-chuva.

    Guardar a roupa tudo bem,

    Mas, a chuva... aí, meu bem...


    Esta língua tão louca...

    Quero sentir a sua!

    Desejo entender o Hino Nacional!


    “Ouviram do Ipiranga”...

    Não sabia que este posto é tão antigo!

    “Em teu seio, ó Liberdade”

    Desde o começo os homens desta nação pensaram no orgulho nacional!


    Os covardes se escondem pelos cantos da Nação.

    Esta Nação... esconde aos cantos seus corajosos!


    Guarda-noturno,

    Guarda-livro.

    Guarda-rodoviário?

    Ninguém quer saber de guardar o guarda!

     



    Escrito por Rodrigo às 07h43
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    FILA

    Sinto-me incompreendido,

    vivendo em busca que todos não vêem!

    Recupero minhas forças e sigo,

    a vida me diz: “Por favor, por aqui”!

     

    Com o mesmo tom e veemência,

    Retribuo!

    Somos tão recíprocos ...

    Parece um espelho polido.

     

    Esqueço de todos insultos,

    No final veremos quem vence.

    Inspirado em uma vida distinta,

    com a faca e o queijo na mão!

    Não por ganância,

    Nem por torpe cobiça.

    Mas por desejo profundo,

    Em superar desafios!

     

    Talvez pessoas me julgem,

    Alguns dirão que não dá!

    Mas meu felling tão novo,

    Mostra campos repletos de flores!

     

    Ah, Flores!

    Nem tudo são flores! Sim, nem tudo são flores,

    mas há bosques, campos, plantas e cores.

    Cores do Brasil, campos de futebol,

    bosque de Águas da Prata, planta que encanta o admirador.

     

    Robusto e forte sigo em frente,

    Buscando meu espaço em meio a multidão,

    Continuo passando a fila,

    Com licença Senhor, a minha vez já chegou”!



    Escrito por Rodrigo às 07h42
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    FANTÁSTICO

    Fases da vida

    Frases que incitam

    Faces de labuta

    Frágeis inspirações!


    Frango, farofa, família, farrapo.

    Fortuna, feixe, faca, fofoca.

    Filão, fogão, feijão, fadiga.

    Frustração, fatos, foto, feliz.


    Fiu.. Fiu...

    Filho,

    Falecimento!

    Fim.



    Escrito por Rodrigo às 07h41
    [] [envie esta mensagem
    ] []





    DESIGUAL

    O professor ensinou,

    o aluno aprendeu.

    O aluno tentou ensinar,

    o professor fingiu que entendeu.


    O avó demonstrou,

    o neto assim fez.

    O neto quis inovar,

    o avó não aceitou.


    O rico não pagou,

    o pobre não recebeu.

    O pobre pagou,

    o rico fingiu que não recebeu.


    O escritor escreveu,

    o leitor então leu.

    O leitor tentou escrever,

    o escritor se irritou.



    Escrito por Rodrigo às 07h41
    [] [envie esta mensagem
    ] []



     
      [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]